sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Bazar de Natal do Espaço Sol 2013

Oi, Gente!

Tal como no ano passado... Venho anunciar o Bazar de Natal do Espaço Sol!...

Apareçam!

***

Numa altura em que viajamos a bordo de uma Energia de Mudança, o Espaço Sol propõe mais um desafio sorridente! Que tal celebrarmos um Natal em plena Consciência Individual, para assim trazermos um contributo genuíno e positivo à Consciência Colectiva? Como? Convidamos todos a virem ao nosso Bazar de Natal onde teremos terapeutas, criadores e artesãos com os quais poderão encontrar o Presente mais harmonioso para si e para os seus.

O convite está feito! De Coração Aberto cá estaremos para vos receber!

(Ilustração: Sara Teixeira, http://sarateixeira.com/)


Bancas e Workshops

Aguarelas - Cerâmica - Bijuteria - Linhas e lãs - Livros - Cadernos Artesanais - Conservas de vegetais biológicos - Mandalas e Fadas - Cosmética Natural - Sabonetes e cremes - Bolos Tradicionais - Doces, compotas e companhia - Biscuit - Chás e Xaropes - Vouchers...

Workshops:
Cosmética Natural às 11h, limitado a 10 pessoas, 6 Sóis
Origamis para o Natal às 15h, 4 Sóis
Mandalas às 16:30, limitada a 12 pessoas, 10 Sóis
Relaxamento (mini) às 18h, limitado a 10 pessoas, 5 Sóis

***

Domingo 1 de Dezembro, das 10:30h às 19:30h
Espaço Sol: Rua António Sardinha, nº6 loja Esq, Santana-Sesimbra

Entrada Livre

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Círculo de Meditação: Os Sonhos. Dialogando com o Inconsciente

Círculo de Meditação
Os Sonhos. Dialogando com o Inconsciente

Joel Machado e o Espaço Sol Lisboa lançam o convite para um dia de Meditação e tomada de Consciência. Para este Círculo a proposta é continuar o trabalho de desenvolvimento pessoal e Espiritual tendo como tema os Sonhos: Origem, Tipologias, Significado e Interpretações.

Tal como tem acontecido, partindo de uma Intenção Individual e de Grupo, a ideia passa por explorar essas Paisagens desses Mundos de Sonhos e tentar perceber o que podem significar, que mensagem individual e colectiva poderão trazer.

Propõe-se que cada participante traga anotações de sonhos que gostasse de partilhar e tentar entender melhor.

Meditações Estáticas
Meditações Dinâmicas
Harmonização Física, Psíquica e Espiritual
Tomada de Consciência

Propõe-se um valor de troca de 15Eur, porém, uma real indisponibilidade financeira não impede a participação, tudo se conversa! Num espírito de partilha, sugere-se que cada pessoa traga algo para comer de modo a fazer um almoço conjunto! Do chá e das bolachas tratamos nós!

Dia 9 de Novembro, entre as 10h e as 16h, cá estaremos de Braços e Corações Abertos!

Tudo de Bom!

(Imagen/Autoria: Svetlana Bobrova)

domingo, 27 de outubro de 2013

Círculo de Meditação O Plano Emocional segundo a Astrologia

Círculo de Meditação
O Plano Emocional segundo a Astrologia

Joel Machado e o Espaço Sol Sesimbra lançam o convite para um dia de Meditação e tomada de Consciência. Para este Círculo a proposta é dar continuidade ao caminho de Desenvolvimento Pessoal e Espiritual tendo como tema O Plano Emocional segundo a Astrologia.

Em Astrologia o plano das emoções está representado pela Lua: a sensibilidade, a energia materna, o lado feminino.

A ideia é que possamos tentar entender um pouco melhor as nossas Emoções e o valor que damos às carências em que acreditamos. Cada participante terá o seu tema astrológico e ao longo de diferentes dinâmicas e momentos de meditação, em grupo, aprofundar-se-á o tema.

Meditações Estáticas
Meditações Dinâmicas
Harmonização Física, Psíquica e Espiritual
Tomada de Consciência de padrões emocionais recorrentes

Propõe-se um valor de troca de 15Eur, porém, uma real indisponibilidade financeira não impede a participação, tudo se conversa! Num espírito de partilha, sugere-se que cada pessoa traga algo para comer de modo a fazer um almoço conjunto! Do chá e das bolachas tratamos nós!

Dia 2 de Novembro, entre as 10h e as 16h, cá estaremos de Braços e Corações Abertos!

Tudo de Bom!

terça-feira, 2 de julho de 2013

Dores no Peito?

O texto que se segue é a "opinião" do Osho acerca das dores no coração!

Luz e Abraço, Gente!


(Fonte: Não me lembro! Lol! Mas os créditos ao autor ou autora, onde quer que esteja!)


Have a Heart!

I have been experiencing pain of varying degrees in my chest for some years. It disappears when I love, when I melt....

It is not physical; it is certainly concerned with relaxation, total melting, forgetting oneself completely. In those moments it disappears, so certainly it is not physical. You have to learn to give more love. This is not only your problem; in varying degrees it is the problem of everybody.

Everybody wants to be loved; that is a wrong beginning.

It starts because the child, the small child, cannot love, cannot say anything, cannot do anything, cannot give anything; he can only get. A small child’s experience of love is of getting: getting from the mother, getting from the father, getting from brothers, sisters, getting from guests, strangers – but always getting. So the first experience that settles deep in his unconscious is that he has to get love.

But the trouble arises because everybody has been a child, and everybody has the same urge to get love; nobody is born in any other way. So all are asking, “Give us love,” and there is nobody to give because the other person was also brought up in the same way.

One has to be alert and aware that just an incident of birth should not remain a constant prevailing state of your mind.

Rather than asking, “Give me love,” start giving love. Forget about getting, simply give – and I guarantee you, you will get much.

But you are not to think about getting. You are not even indirectly, by the side, to watch whether you are getting it or not. That much will be enough disturbance. You simply give, because to give love is so beautiful that getting love is not so great. This is one of the secrets.

Giving love is the really beautiful experience, because then you are an emperor. Getting love is very small experience, and it is the experience of a beggar. Don’t be a beggar. At least as far as love is concerned, be an emperor, because it is an inexhaustible quality in you. You can go on giving as much as you like. Don’t be worried that it will be exhausted, that one day you will suddenly find, “My God! I don’t have any love to give anymore.”

Love is not a quantity; it is a quality, and a quality of a certain category that grows by giving and dies if you hold it. If you are miserly about it, it dies. So be really spendthrift. Don’t bother to whom – that is really the idea of a miserly mind: I will give love to certain persons with certain qualities. You don’t understand that you have so much...you are a raincloud.

The raincloud does not bother where it rains – on the rocks, in the gardens, in the ocean – it doesn’t matter. It wants to unburden itself. And that unburdening is a tremendous relief.

So the first secret is: Don’t ask for it, and don’t wait, thinking that you will give if somebody asks you. Give it!

Just give your love to anybody – a stranger. It is not a question that you have to give something very valuable, just a helping hand and that will be enough. In twenty-four hours, whatever you do should be done with love, and the pain in your heart will disappear. And because you will be so loving, people will love you. It is a natural law. You get what you give. In fact you get more than you give.

Learn giving, and you will find so many people being loving towards you who had never looked at you, who had never bothered about you. Your problem is that you have a heart full of love but you have been a miser; that love has become a burden on the heart. Rather than making the heart blossom you have been hoarding it, so once in a while when you are in a moment of love you feel it disappearing. But why one moment? Why not every moment?

It is not even a question of a living being. You can touch this chair with a loving hand. The thing depends on you, not on the object.

Then you will find a great relaxation and a great disappearance of your self – which is a burden – and a melting into the whole.

This is certainly a disease, in the literal meaning of the word: it is a dis-ease. It is not sickness, so no physician can help you. It is simply a tense state of your heart that just wants to give more and more. Perhaps you have more love than other people, perhaps you are more fortunate, and you are making out of your fortune a great misery for yourself. Share it, without bothering to whom you are giving.

Just give it, and you will find tremendous peace and silence. This will become your meditation.

One can come to meditation through many directions; perhaps this is going to be your direction.

Osho, Beyond Psychology, Talk #41

quarta-feira, 5 de junho de 2013

"A Desumanidade do Homem". Mais uma do Osho dos ferraris...

A Desumanidade do Homem

Porque as pessoas tratam uns aos outros como o fazem? Tudo isso é condicionamento, ou há algo no homem que o torna disposto a se desviar?

São ambas as coisas.

Primeiro, há alguma coisa no homem que o desencaminha. E segundo, existem pessoas cujos interesses é desencaminhar os seres humanos. Ambos juntos criam um ser humano falso, um impostor. Seu coração anseia por amor, mas sua mente condicionada o impede de amar. Esse é o problema. A criança nasce com um coração que anseia por amor, mas ela também nasce com um cérebro que pode ser condicionado.

A sociedade tem que condicioná-lo contra o coração, porque o coração será sempre rebelde contra a sociedade, ele irá sempre seguir seu próprio caminho.

O coração não pode ser tido como um soldado. Ele pode se tornar um poeta, ele pode se tornar um cantor, pode se tornar um dançarino, mas não pode se tornar um soldado.

Ele pode sofrer pela sua individualidade, ele pode morrer pela sua individualidade e liberdade, mas ele não pode ser escravizado. Esse é o estado do coração. Mas a mente... A criança vem com um cérebro vazio, apenas um mecanismo, o qual você pode arrumar da maneira que você quiser. Ele irá aprender a língua que você ensinar, ele aprenderá a religião que você ensinar, ele aprenderá a moralidade que você ensinar. Ele é simplesmente um computador, você apenas o alimenta com informações. E toda sociedade cuida de tornar a mente cada vez mais forte para que se houver algum conflito entre a mente e o coração, a mente irá vencer. Mas cada vitória da mente sobre o coração é uma miséria. É uma vitória sobre sua natureza, sobre seu ser – sobre você – pelos outros. E eles cultivaram sua mente para servir ao propósito deles.

Portanto, a mente é vazia, seu cérebro; você pode colocar qualquer coisa nela. E com vinte e cinco anos de educação você pode torná-la tão forte que você pode esquecer seu coração; você irá permanecer sempre miserável. A miséria é que seu coração só pode lhe dar alegria, só pode lhe dar felicidade, só pode lhe fazer dançar. A mente pode fazer aritmética, mas ela não pode cantar uma canção. Essas não são as habilidades da mente. Assim você está dividido entre sua natureza, que é seu coração, e a sociedade que é sua cabeça. E certamente você nasce – todos nascem – com estes dois centros. Esse é a dificuldade.

E um centro está vazio. Numa sociedade melhor ele será utilizado de acordo com o coração, para servir ao coração. Então será uma grande vida, cheia de regozijos. Mas até agora temos vivido numa sociedade feia, com idéias podres. Eles usaram a mente. E essa vulnerabilidade existe – a mente pode ser usada.

Agora os comunistas a estão usando de uma maneira; os fascistas a usaram na Alemanha de outra maneira; todas as outras religiões a estão usando de diferentes maneiras. Mas essa vulnerabilidade está em todos os indivíduos: que você tem uma mente a qual você trouxe vazia. De fato, isso é uma bênção da existência – mas, mal utilizada, explorada. Ela lhe é dada vazia para que você possa fazê-la perfeitamente subserviente ao seu coração, aos seus anseios, ao seu potencial. Não há nada de errado nisso. Mas os interesses investidos por todo o mundo encontraram nisso uma bela oportunidade para eles – para usar a mente contra o coração. Assim você permanece miserável e eles podem lhe explorar por todos os meios que quiserem.

Eis porque todo o mundo é miserável.

Todo mundo quer ser amado, todos querem amar; mas a mente é uma barreira tal que nem lhe permite amar, nem lhe permite ser amado. Em ambos os casos a mente fica no caminho e começa a distorcer tudo.

E mesmo se por acaso você encontrar uma pessoa que você sinta amor por ela e a pessoa sinta amor por você, suas mentes não irão concordar. Elas foram treinadas por sistemas diferentes, religiões diferentes, sociedades diferentes.

Ser feliz é um direito inato de todos, mas infelizmente a sociedade, as pessoas com as quais estamos vivendo, que nos trouxeram para este mundo, não pensaram nada a respeito disso. Elas estão somente reproduzindo seres humanos como animais – até mesmo pior que isso porque pelo menos os animais não são condicionados. Esse processo de condicionamento deve ser completamente mudado. A mente deve ser treinada para ser uma serva do coração. A lógica deve servir ao amor. E assim a vida pode se tornar um festival de luzes.



 (Imagem: Encontrei isto algures no computador, sem identificação, a quem quer que "pertençam" os créditos, aqui vai uma vénia...)

domingo, 12 de maio de 2013

Festa do Espaço Sol!

Oi, Gente!

Aqui fica o convite para virem até à Festa do Espaço Sol a realizar na Eco Escola Tom da Terra em Sampaio-Sesimbra no próximo dia 1 de Junho!

Desenvolvimento Pessoal, Terapias, Massagens, Meditação, Artesanato, Comida Saudável... e afins!

Para mais informações ou bilhetes podem falar comigo ou com o Espaço Sol:
Luz e Abraço


quarta-feira, 1 de maio de 2013

" Strange as it may be, Sometimes life you know it ain't what it seems"

Como dizíamos no tempo da Capoeira: “nem tudo o que reluz é ouro, tem tudo o que balança caí!”

Não quer dizer que amanhã ainda sinta ou acredite nisto, mas o que interessa é que por agora... sim!

Amén com direito a banda sonora!

Luz, Abraço, Sorrisos e Caretas, Gente!



Strange as it may be
Sometimes life you know it ain't what it seems
Like going to war to make peace
Sometimes life you know it ain't what it seems

Like the old man out there he lives on the streets
And now he is asking for a dollar off everybody he meets
Never knew he used to be a millionaire on wall street
Sometimes life you know it ain't what it seems

Just like that plane you are late for leaving without you
And now it changes all you plans and puts you in a bad mood
And that plane ends up crashing but at the time man you would not have a clue
That being late could be so good and life is strange and this true

So sometimes life you know it ain't what it seems
Sometimes good presents come in bad wrapping
Strange as it may be
Sometimes bad presents come in good wrapping

(...)

Oh I won't forget Everything you know it's happening, happening for a reason
So there ain't no need, no need in worrying...
Just get your job done.

Strange as it may be
Sometimes life you know it ain't what it seems
Like going to war to make peace
Sometimes life you know it ain't what it seems

domingo, 28 de abril de 2013

"Miúdos"...

Pontos de vista de "miúdos"!?...

Como diria uma amiga "através das crianças nos purificamos"...



Para quem quiswr dar uma olhada na versão não editada da entrevista: http://www.youtube.com/watch?v=eOJVcYHIkZM 

Luz e Abraço, Gente!

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Estar Só (Saber Morrer)

Mais um texto 'medicinal' do Osho. Parece-me falar da importância do saber estar só, e daí até ao saber “morrer”... Vale pela partilha!

Luz e Abraços, Gente!



Alone At Last!

Confronting oneself in aloneness is fearful and it is painful, and one has to suffer it. Nothing should be done to avoid it, nothing should be done to divert the mind and nothing should be done to escape from it. One has to suffer it and go through it. This suffering and this pain is just a good sign that you are near a new birth, because every birth is preceded by pain. It cannot be avoided and it should not be avoided because it is part of your growth.

But why is this pain there?

This should be understood because understanding will help you to go through it, and if you go through it knowingly you will come out of it more easily and sooner.

Why is there pain when you are alone? The first thing is that your ego gets ill. Your ego can exist only with others. It has grown in relationship, it cannot exist alone. So if the situation is one in which it can exist no more, it feels suffocated; it feels just on the verge of death. This is the deepest suffering. You feel as if you are dying. But it is not you who is dying, only the ego, which you have taken to be yourself, with which you have become identified. It cannot exist because it has been given to you by others. It is a contribution. When you leave others you cannot carry it with you.

So in aloneness all that you know about yourself will fall; by and by it will disappear. You can prolong your ego for a certain period – and that too you will have to do through imagination – but you cannot prolong it for long. Without society you are uprooted; the soil is not there from where to get food. This is the basic pain.

You are no longer sure who you are: you are just a dispersing personality, a dissolving personality. But this is good, because unless this false you disappears the real cannot emerge. Unless you are completely washed and become clean again the real cannot emerge.

This false you is occupying the throne. It must be dethroned. By living in solitariness all that is false can go. And all that is given by society is false. Really, all that is given is false; all that is born with you is real. All that is you by yourself, not contributed by someone else, is real, authentic. But the false must go and the false is a great investment. You have invested so much in it; you have been looking after it so much; all your hopes hang on it. So when it starts dissolving you will feel fearful, afraid and trembling: What are you doing to yourself? You are destroying your whole life, the whole structure.

There will be fear. But you have to go through this fear; only then will you become fearless. I don’t say you will become brave, no. I say you will become fearless.

Bravery is just part of fear. Howsoever brave you are, the fear is hidden behind. I say fearless. You will not be brave; there is no need to be brave when there is no fear. Both bravery and fear become irrelevant. They are both aspects of the same coin. So your brave men are nothing but you standing on your head. Your bravery is hidden within you and your fear is on the surface; their fear is hidden within and their bravery is on the surface. So when you are alone you are very brave. When you think about something you are very brave, but when a real situation comes you are fearful.

One becomes fearless only when one has gone through the deepest fear of all – that is the dissolving of the ego, the dissolving of the image and the dissolving of the personality.

This is death because you don’t know if a new life is going to emerge from it. During the process you will know only death. Only when you are dead as you are, as the false entity, only then will you know that death was just a door to immortality. But that will be at the end; during the process you are simply dying.

Everything that you cherished so much is being taken away from you – your personality, your ideas, all that you thought was beautiful. All is leaving you. You are being denuded. All the roles and robes are being taken away. In the process fear will be there, but this fear is basic, necessary and inevitable – one has to pass through it. You should understand it but don’t try to avoid it, don’t try to escape from it because every escape will bring you back again. You will move back into the personality.

Those who go into deep silence and solitude, they always ask me, “There will be fear, so what to do?” I tell them not to do anything, just to live the fear.

If trembling comes, tremble. Why prevent it? If an inner fear is there and you are shaking with it, shake with it. Don’t do anything. Allow it to happen. It will go by itself. If you avoid it ...and you can avoid it. You can start chanting Ram, Ram, Ram; you can cling to a mantra so that your mind is diverted. You will be pacified and the fear will not be there; you have pushed it into the unconscious. It was coming out – which was good, you were going to be free from it – it was leaving you and when it leaves you, you will tremble.

That is natural because from every cell of the body and of the mind, some energy that has always been there pushed down is leaving. There will be a shaking and a trembling; it will be just like an earthquake. The whole soul will be disturbed by it. But let it be. Don’t do anything. That is my advice. Don’t even chant. Don’t try to do anything with it because all that you can do will again be suppression. Just by allowing it to be, by letting it be, it will leave you – and when it has left, you will be altogether a different man.

Osho, The Book of Secrets, Talk #70






Lately, lately I've seen you in your dream
Lost in a clouded mind
Held down by all the things that seem so real
The world you can't leave behind

You've made all of the money you could spend
You're begging for something more
Behind the prison you call your home my friends
The light in the endless dark

Lately, you've followed your fears under the bed
And fell for a hundred years
Into the arms of a wounded melody
The promise that love's still here

You held a cynical world like God's bruised fruit
Chopped from a sacred tree
It's us, the enemy we fought all these years
The stories of you and me

So we hurry, go faster and faster to find that we've ran our whole life
Forgoing the sweetest view
There's a buzz like a lightbulb up to our ears
Promise that love's still here

Retrace the steps in the snow to find your friend
'Cause the child had melt so fast
Big dreams, the future you taste on summer's time
Having it just won't last

Right here, we've all got the answer in our heart
If we could just let that go
Lifetimes of beautiful sunday church bell girls
The junkies upon the floor

So we hurry, go faster and faster to find that we've ran our whole life
Forgoing the sweetest view
We could argue forever and ever, be clear
Promise that love's still here

If forever and ever and ever we find that we've ran our whole life
Forgoing the sacred view
There's a buzz like a lightbuld up to our ears
Promise that love's still here
The promise that love's still here
The promise that love's still here
The promise that love's still here

terça-feira, 19 de março de 2013

O princípio básico do Tantra (...)

O princípio básico do Tantra, princípio esse muito radical, revolucionário e rebelde, é que o mundo não está dividido em inferior e superior, mas que é só uma peça. O inferior e o superior estão de mãos dadas; o superior contém o inferior e o inferior contém o superior. O superior está oculto no inferior; portanto, o inferior não precisa ser negado, não precisa ser condenado, não precisa ser destruído ou morto. O inferior precisa ser transformado, ter permissão de se mover para cima, e dessa maneira o inferior se torna superior. 

Uma outra maneira de dizer isso é que não existe uma distância intransponível entre demónio e Deus; o demónio está carregando Deus no fundo do seu coração. Uma vez que esse coração comece a funcionar, o demónio se torna Deus. Na verdade, a palavra “demónio” vem da mesma raiz que a palavra “divino”: ele é o divino ainda não evoluído, e isso é tudo. Não que o demónio esteja contra o divino, não que o demónio esteja tentando destruir o divino; na verdade, o demónio está tentando encontrar o divino, está a caminho do divino. O demónio não é inimigo, mas a semente. O divino é a árvore inteiramente florescida, e o demónio é a semente, mas a árvore está oculta na semente. A semente não é contra a árvore; na verdade, a árvore não pode existir se a semente não existir. E a árvore não está contra a semente; elas estão em profunda amizade, elas estão juntas. Veneno e néctar são duas fases da mesma energia, e assim é a vida e a morte, e assim é com tudo: dia e noite, amor e ódio, sexo e supraconsciência.

O Tantra diz para nunca condenar nada, pois a atitude de condenação é destrutiva. Ao condenar algo, você nega a si mesmo as possibilidades que se tornariam disponíveis a você se você tivesse encorajado o inferior a evoluir. Não condene a lama, pois o lótus está oculto na lama; use a lama para produzir o lótus. É claro, a lama ainda não é o lótus, mas pode ser. Uma pessoa criativa ajudará a lama a libertar seu lótus, de tal maneira que o lótus possa ser manifesto.

Osho in Tantra. O Caminho da Aceitação

 

quarta-feira, 13 de março de 2013

"Speaking your truth to others"...

"Speaking your truth to others is important. Speaking your truth to yourself is empowering. Being truthful does not mean blaming others or saying cruel things. Being truthful means owning your own part in the creation of the experience you are having and being honest with your motivations and intentions and what you can and cannot live with. The truth is one of the greatest healers and protectors of your inner child. Don't be afraid to stand in your truth."


domingo, 10 de março de 2013

sábado, 2 de março de 2013

Círculo de Meditação e Cura Os Sonhos. Dialogando com o Inconsciente (SESIMBRA)

Círculo de Meditação e Cura
Os Sonhos. Dialogando com o Inconsciente

Joel Machado e o Espaço Sol lançam o convite para um dia de Meditação e Cura. Para este Círculo a proposta é continuar o trabalho de desenvolvimento pessoal e Espiritual tendo como tema os Sonhos: Origem, Tipologias, Significado e Interpretações.

Tal como tem acontecido, partindo de uma Intenção Individual e de Grupo, a ideia passa por explorar as Paisagens da Alma, aprofundar a Consciência através das Artes Meditativas e da Harmonização.

- Meditações Estáticas
- Meditações Dinâmicas
- Harmonização Física, Psíquica e Espiritual
- Tomada de Consciência
- Limpeza e Libertação de padrões recorrentes

Quem sabe e em Grupo possamos ajudar cada Espírito individualmente a dialogar com os “sonhos” que tem e a que se dispõe! Fica a intenção!

Propõe-se um valor de troca de 15Eur, porém, uma real indisponibilidade financeira não impede a participação, tudo se conversa! Num espírito de partilha, sugere-se que cada pessoa traga algo para comer de modo a fazer um almoço conjunto! Do chá e das bolachas tratamos nós!

Dia 16 de Março, entre as 10h e as 16h, cá estaremos de Braços e Corações Abertos!

Muita Harmonia e Tudo de Bom!


Família...

 

sexta-feira, 1 de março de 2013

Já dizia o Horácio!... :)

"A adversidade desperta em nós capacidades que, em circunstâncias favoráveis, teriam ficado adormecidas."

(Horácio)


Bem, é uma maneira de ver as coisas!

Luz e Abraço!



  

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Rumi (Diálogo)

I said: what about my eyes?
God said: Keep them on the road.
I said: what about my passion?
God said: Keep it burning.
I said: what about my heart?
God said: Tell me what you hold inside it?
I said: pain and sorrow?
He said: ...stay with it.
The wound is the place where the Light enters you.

Rumi







Thank you for hearing me Thank you for hearing me Thank you for hearing me Thank you for hearing me Thank you for loving me Thank you for loving me Thank you for loving me Thank you for loving me Thank you for seeing me Thank you for seeing me Thank you for seeing me Thank you for seeing me And for not leaving me And for not leaving me And for not leaving me And for not leaving me Thank you for staying with me Thank you for staying with me Thank you for staying with me Thank you for staying with me Thanks for not hurting me Thanks for not hurting me Thanks for not hurting me Thanks for not hurting me You are gentle with me You are gentle with me You are gentle with me You are gentle with me Thanks for silence with me Thanks for silence with me Thanks for silence with me Thanks for silence with me Thank you for holding me And saying "I could be" Thank you for saying "Baby" Thank you for holding me Thank you for helping me Thank you for helping me Thank you for helping me Thank you, thank you for helping me Thank you for breaking my heart Thank you for tearing me apart Now I've a strong, strong heart Thank you for breaking my heart

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

"Through our breath, we are all connected."

There are silent changes taking place within Mother Earth at this time. Her Heart is quickening and calling forth the transcendent light from the Cosmic Heart. The forests and animals and oceans know that there is a new energy in our physical realm. When we spend time in Nature we can feel her and she is able to connect deeply with our hearts. We are her children and we are one with her - the entire physical world is one Being. In the physical world we are all the feminine polarity to the spirit. The most potent part of our energy body has been locked up for a very long time. We are just beginning to see it awaken on the planet and many are feeling the call to consciously align with the new, higher frequencies that are now present.

The Earth is singing. She is sending out a tone that is calling forth the energy of the heavens with her heart. There is a new sound coming from the trees and the birds. As one world dies, another world is being born. This sacred light that has come to the planet is slowly weaving a web that will lift us when the time comes for our ascension into the Heart.

Through our breath, we are all connected. The breath is the carrier of the Spirit. It is the vehicle of the Language of Light. There is one breath moving through all of us and when we return to our breath with consciousness, our heart opens and we begin to understand on the deeper levels of our soul what is taking place. We begin to realize that we are supported by our Mother. She is doing great work at this time for all of us. When we breath with her, we feel the force of her Love and we become her majestic sons and daughters.

 www.artofthefeminine.com


Shannon Port © 2013, The Sound of an Awakening Planet l Artist Ben Hodson

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Meditação, Cura e Harmonização em Sesimbra... :)

Oi, Gente!

Para quem quiser saber, e quem sabe divulgar, deixo a seguir a informação para dois eventos de Meditação e Harmonização em que irei participar com o Espaço Sol!


Sessão de Meditação em Grupo no Espaço Sol (1 Fevereiro a partir das 20h30)


Círculo de Cura e Meditação (2 de Fevereiro das 10h às 17h)

Joel Machado e o Espaço Sol deixam o convite para um dia de Meditação e Cura.

Partindo de uma Intenção Individual e de Grupo, a ideia passa por explorar as Paisagens da Alma, aprofundar a Consciência com a ajuda algumas Técnicas Meditativas e de Harmonização.

- Meditações Estáticas
- Meditações Dinâmicas
- Harmonização Física, Psíquica e Espiritual
- Tomada de Consciência
- Limpeza e Libertação de padrões recorrentes

Quem sabe, e em Grupo possamos ajudar cada Espírito individualmente a atingir os propósitos a que se propõe! Fica o intuito!

Propõe-se um valor de troca de 15Eur, porém, uma real indisponibilidade financeira não impede a participação, tudo se conversa!

Num espírito de partilha, sugere-se que cada pessoa traga algo para comer de modo a fazer um almoço conjunto! Do chá e das bolachas tramos nós!

Cá estaremos de Braços e Corações Abertos!

Luz e Amor!

Responsabilidade Individual...

Belo texto... Digo eu!...

Luz e Amor, Gente!


Cada um de nós é responsável pela sua vida!

Sem dúvida o ponto em que nos encontramos resulta das inúmeras escolhas que fomos fazendo, algumas... para não dizer muitas delas... de forma inconsciente. Pessoas, livros, encontros e acontecimentos aparentemente aleatórios contribuíram, por vezes de forma determinante, para nos trazer para onde estamos hoje.

Sim, a nossa vida é criada por nós porque temos liberdade para reagirmos de forma positiva aos desafios. E é por isso que a podemos mudar neste preciso instante, sem termos necessariamente de mandar tudo às urtigas, simplesmente decidindo – do fundo do coração – mudar de atitude.

Por isso é importante entendermos que, mais ainda do que os acontecimentos, é a nossa atitude perante eles que define a nossa vida.

Para mudarmos a nossa realidade, temos de mudar os olhos com que a vemos.

João Monge Ferreira
Movimento Novos Rurais Pessoas mais livres, plenas e felizes! (https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture)


terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Dizer a Verdade...

Recebi este email de um tal de Firmiano que não não sei quem será, mas não interessa, porque ressoou. Obrigado!
 
Luz, Amor e Abraços


HARI OM
 
Estamos em época de profunda mudança a Todos os níveis. Esta terá de passar por cada um de nós seres humanos individualmente. A chave do enigma está na verdade a Realidade Absoluta mas trate da transmissão dessa verdade com cuidado. Deixo-vos sobre este assunto uma reflexão de DALAI LAMA:
 
"Fale a verdade, seja ela qual for, clara e objetivamente, usando um toque de voz tranquilo e agradável, liberto de qualquer preconceito ou hostilidade." OM TAT SAT